Documentário e programa para TV . 2008 . vídeo digital . cor . 80 min (Doc) / 48 min (TV)
Sentidos à flor da pele
sinopse . prêmios e festivais . ficha técnica . diretor . sobre o filme

     Nem todo deficiente visual é cego. Muitos têm a chamada baixa visão e, em muitos casos, precisam de poucos estímulos para estar totalmente integrados à sociedade como pessoas independentes e produtivas. O tema principal do filme é a capacidade, habilidade e as inúmeras possibilidades de inclusão, também estímulos, compreensão e a luta contra todo tipo de preconceito.


     O dia-a-dia de quatro pessoas é filmado enquanto desempenham suas funções, mostrando que com a perda da visão, os outros sentidos saltam à flor da pele. A idéia foi mostrar a normalidade na vida dessas pessoas, principalmente sua independência e incontáveis habilidades profissionais. “Sentidos à Flor da Pele” pretende inaugurar uma nova mentalidade em empresas públicas e privadas, além de ajudar a acabar com o preconceito da sociedade, de um modo geral.


     Independência e produtividade são as duas vertentes do documentário “Sentidos à Flor da Pele”. A produção se desfaz da atmosfera de piedade e de pieguice que costuma tomar conta de filmes sobre deficientes. Se forem criadas oportunidades para aumentar consideravelmente a empregabilidade, os deficientes visuais se tornarão cidadãos comuns. Essa realidade já é, em parte, um fato, pois há uma grande quantidade de pessoas atuando em áreas nada convencionais e essas imagens precisam ser mostradas para que todo tipo de preconceito seja finalmente superado.


     Como o objetivo é inaugurar uma nova mentalidade de inclusão e lutar contra todo tipo de preconceito, o público-alvo são os formadores de opinião, como jornalistas, publicitários, artistas, empresários, políticos, professores, diretores de escola e todas as pessoas que ainda resistem em dar oportunidades de emprego a um deficiente visual.


     Segundo dados do Censo Demográfico 2000, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população brasileira tem 16.644.842 pessoas com alguma grande dificuldade permanente de enxergar. São mais de 1,6 milhão de cidadãos brasileiros com algum tipo de deficiência visual, a grande maioria com baixa visão.


     A grande vilã da discriminação é sempre a falta de informação. Quando desconhecemos um determinado assunto, temos uma tendência a criar um monstro que não existe. O documentário tem por meta e missão dissipar os preconceitos com o máximo de informação sobre a questão da deficiência visual, mas sempre distante do ar melodramático que costuma dominar filmes “institucionais” que são feitos sobre temas ligados à deficiência, principalmente à deficiência visual.


Produção: 24 VPS Filmes